Considerado um dos maiores bateristas de todos os tempos, “Bonzo” atuou como baterista do Led Zeppelin, marcou época e conseguiu arrebatar uma legião de admiradores de forma atemporal.

O rock viveu uma fase de grandes instrumentistas e vários bateristas com muitos méritos e que foram a base para uma inovação e estilo de tocar este instrumento.

Bonham se destacou por suas características de execução que envolvia a velocidade, potência e sons específicos. Foi muito aclamado em 2011 pelos leitores da revista Rolling Stone como o melhor baterista de todos os tempos, à frente de Keith Moon do The WhoNeil Peart do Rush, Dave Grohl do Foo Fighters e ex-Nirvana.

Neste artigo vamos conhecer mais sobre a vida, carreira, estilo e legado desse músico que se destacou entre as maiores figuras do rock and roll, e que ajudou a construir com bases concretas o fascínio de diversas gerações sobre a forma de tocar bateria e influenciar muitos jovens músicos.

Biografia de John Bonham

john bonham

Nascido em 31 de maio de 1948, em Redditch, Worcestershire, Inglaterra, John Henry Bonham aos cinco anos já usava caixotes e latas para tirar seu som e tentar acompanhar aqueles que mais admirava, os bateristas Gene Krupa e Buddy Rich.

Não frequentou escolas de música e se desenvolveu como autodidata, tendo sido presenteado aos 15 anos com uma bateria Premier, a primeira de sua vida.

Porém, pela necessidade de ajudar a família, teve de priorizar o trabalho e abandonou a escola tradicional para trabalhar na construção civil. Tinha um casal de irmãos que seguiram carreiras na música como discotecário e cantora.

Aos 17 anos se casou com Pat Phillips, e teve um casal de filhos: Zoë Bonham que se tornou cantora e compositora e Jason Bonham, baterista de rock.

Teve grande relação com músicos do rock, sendo inclusive padrinho de casamento do guitarrista Tony Iommi, do Black Sabbath.

Muito dedicado a família, sofria por ter de se distanciar de sua esposa e filhos em função de suas turnês e apresentações. Essa situação fez com que se tornasse um alcoólatra para poder superar a ansiedade da separação constante de sua família.

Brigava muito por onde passava e causava estragos em hotéis e lugares onde ficava, estava sempre acompanhado de várias companhias que somente o incentivavam a ter esse comportamento em suas viagens.

Em 24 de Setembro de 1980, Bonham se embriagou demasiadamente de vodca e foi levado à casa de Jimmy Page em Windsor, onde desmaiou e adormeceu para não acordar mais.

Trajetória musical

Antes de se tornar o baterista do Led Zeppelin, Bonham teve participações em diversas bandas e foi desenvolvendo seu estilo marcante desde os primeiros trabalhos que realizou.

Começou em 1964 com a banda Terry Webb and The Spiders. Posteriormente ingressou nos The Blue Star Trio e depois participou de um single da banda The Senators, que fizeram sucesso com a música She’s a mod.

A partir daí decidiu fazer da música seu projeto de vida e começou a tocar na banda The Way of Life, participando posteriormente de uma banda liderada pelo vocalista Robert Plant, chamada Crawling King Snakes.

Aí sua fama já havia se espalhado e sua forma muito agressiva de tocar se destacava em relação a bandas da época, passando a ser considerado um monstro da bateria, inclusive por em várias ocasiões, quebrá-las, dada a sua agressividade ao tocar.

Nesse período, o Led Zeppelin foi formado por Jimmy Page que chamou Robert Plant, sendo este o responsável por indicar Bonham para compor o grupo e por ter a sua aceitação como novo integrante daquela nova banda.

Após 27 anos do início do Led Zeppelin, a banda retornou, no ano de 2007, para um show beneficente em Londres em apresentação única. O show teve em sua formação na bateria, o filho de Bonham, Jason Bonham, que ao substituiu seu falecido pai e pôde brindar ao público com o retorno às origens do Led Zeppelin, que foi tão marcante na vida de seu pai, assim como dos amantes do rock.

Seu estilo

O baterista do Led Zeppelin possuía o estilo mais marcante e agressivo do rock na época em que tocou, exercendo influência em todos os bateristas do hard rock e do heavy metal.

Para aumentar o impacto de seu som, ele utiliza baquetas mais pesadas, compridas e robustas que as convencionais, que causavam uma forma de tocar característica pessoal e nunca comparada.

Ele mesmo as apelidava de as “árvores”. Esse estilo pode ser verificado em músicas como Immigrant song, Moby Dick, When the levee breaks e The ocean.

Utilizando solos extensos que chegavam a mais de 30 minutos, Bonham se notabilizou por dar uma nova forma de ouvir o rock.

Bonham se alimentou de fontes do Jazz e Swing para desenvolver sua técnica ímpar, o que possibilitou interagir de forma intensa com todos os sons da banda e se destacar como o condutor de ritmos e levadas. John tinha uma técnica denominada Tercina, que destacava o pedal Speed King na condução das execuções.

Discografia

Como baterista do Led Zeppelin, John Bonham foi fundamental para que a banda conseguisse uma projeção e uma forma de executar o rock de maneira totalmente distinta do que se ouvia até então.

Durante sua carreira, os 10 discos que gravou com o Led Zeppelin foram absoluto sucesso e se eternizaram no mundo do rock.

Legado

Seu legado inclui uma forma de tocar muito agressiva com batidas cheias de contratempos, roladas e triplets, que fazem com que as pessoas sintam uma sensação intensa de música ocupando seus ouvidos.

Sendo autodidata, desenvolveu seu estilo sem a base determinada por estudos em conservatórios ou com professores particulares, o que o tornou tão destacado na arte de tocar bateria, utilizando diversos recursos além das baquetas para obter os sons mais espetaculares de seu instrumento.

Seu estilo influenciou vários outros bateristas de rock and roll no planeta e foi fundamental como baterista do Led Zeppelin, para eternizar o estilo dessa banda clássica.

Abaixo, o lendário solo de bateria Moby Dick!