Circula na rede uma frase associada ao guitarrista Roger Franco:

Deixe seu instrumento por um dia, e ele te deixará por vários.

Isso é um fato. Seu cérebro e suas mãos sentem quando se quebra a rotina. Por isso, o conselho é que se estude, pelo menos uma hora por dia, mesmo que seja por apenas 6 dias na semana. Afinal, todo mundo merece descanso!

Ouvimos histórias de músicos que chegam a estudar 12 horas por dia, e isso explica o fato de alguns virarem verdadeiros monstros. A vida de um músico deve parecida com a do atleta, que treina mais do que corre, por exemplo.

Assim deve ser sua rotina, treine mais do que toca. Treinando, você estará preparado para as gigs que surgem de última hora, se sentirá capacitado para aguentar grandes rotinas de shows e horas de apresentação.

Mais uma frase que eu gosto muito:

Estude o difícil para tocar fácil

Entendido isso, é hora de pegar as dicas práticas que preparamos para você se organizar na hora de estudar bateria!

Criando uma rotina de estudos

Quando decidi levar a sério o fato de me tornar um baterista profissional, criei uma rotina de estudos para organizar melhor as ideias. A intenção ao fazer isso é disciplinar-se, fazendo com que os assuntos fiquem bem divididos, além de condicionar melhor o corpo e mente.

Vale destacar que eu só tinha 1 hora disponível para estudar, por conta de minha jornada de trabalho. Se você tiver mais que 1 horas, melhor. Porém, divida os assuntos. É melhor tocar poucos minutos ininterruptos de certo assunto do que concentrar-se em algum outro sem tanta “importância”.

Observação: estudar é estudar, tocar é tocar. Na hora praticar, não fique tocando notas ao acaso.

Abaixo segue um exemplo de uma rotina que criei há alguns anos, dividida em 1 hora de estudos:

Segunda-feira:

  •         10 min – Rudimentos mãos
  •         10 min – Rudimentos pés
  •         20 min – Métodos
  •         10 min – Resistência
  •         10 min – Fills/viradas

Terça-feira:

  •         10 min – Rudimentos mãos
  •         10 min – Rudimentos pés
  •         20 min – Métodos
  •         20 min – Coordenação/independência

 Quarta-feira:

  •         10 min – Rudimentos mãos
  •         10 min – Rudimentos pés
  •         20 min – Métodos
  •         10 min – Jazz
  •         10 min – Rock

 Quinta-feira:

  •         10 min – Rudimentos mãos
  •         10 min – Pedal duplo
  •         20 min – Métodos
  •         10 min – Jazz/ritmos
  •         10 min – Rock

Sexta-feira:

  •         10 min – Leitura
  •         10 min – Coordenação/independência
  •         20 min – Resistência
  •         10 min – Dinâmica
  •         10 min – Improvisação

Tenha um diário e anote o que praticar quando estudar bateria

estudar bateria

Uma outra dica é anotar num diário tudo o que se estudou, analisando a performance. Veja o exemplo:

Dia 13.05.2013

Estudei 30 minutos de resistência no pedal duplo. Na hora dos toques duplos, meu pé esquerdo não conseguiu acompanhar o direito. Preciso desenvolver melhor o lado esquerdo para encontrar o equilíbrio.

Fazendo isso, você será mais produtivo e não correrá o risco de esquecer o que foi praticado.

Essa é uma forma de saber exatamente o que contribuiu para o seu desenvolvimento como baterista. No futuro, você poderá revisitar isso e usar as anotações para algo útil. Sem contar que, ao anotar o que se pratica na hora de estudar bateria, você consolida melhor os exercícios.

É isso, espero que tenham gostado.

Bons estudos e madeira na pele!

PS.: Leia este post e descubra como é possível estudar bateria sem sair de casa, usando seu notebook ou celular.